quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Mudar o Mundo

      O desejo de mudar o mundo era enorme. Idéias malucas e incríveis se formavam dentro daquela mente criativa. Porém, como aquela criança poderia mudar o mundo? Apenas suas intenções já bastavam para um começo de uma mudança. Tanta injustiça, tanta miséria, tantos problemas. Realmente havia muito o que se fazer.
      Começou bem devagar, aos poucos. O início era o planejamento e teria que ser bem feito, pois era a partir dali que todo o resto seria construído. Mesmo sem a ajuda de ninguém, aquela criança ainda tinha fé de que poderia mudar o mundo, mesmo que fosse bem pouco, mas mudá-lo de alguma forma.
      Com o planejamento terminado e revisado, a pequena criança colocou o plano em prática. Começava pelas pessoas. Elas tinham que mudar, para que uma mudança pudesse acontecer de verdade. Mesmo sendo poucas no começo, a criança ficou extremamente animada, pois agora sabia que não estava sozinha. As pessoas começaram a ajudar a limpar as ruas, a respeitar uns aos outros, a fazer doações para aqueles que precisavam, a respeitar as leis, a agir com dignidade, conseqüentemente a se tornarem mais felizes. 
      O número de pessoas foi aumentando. Aos poucos o bairro foi melhorando. Logo se tornou o melhor bairro da cidade, com mais igualdade em todos os sentidos, nenhum crime, natureza exuberante sem ser prejudicada pela população local, pessoas, animais, patrimônios, todos respeitando e cuidando da existência de cada um. Aquilo se espalhou pela cidade rapidamente. A criança agora tinha ajuda de pessoas influentes na cidade e região, e suas idéias seriam levadas para mais lugares.
      Problemas com a fome, miséria, entre outros foram aos poucos sendo dissolvidos. Era uma grande mudança acontecendo. Da cidade fora para a região, da região fora para todo o estado, do estado fora para todo o país, do país se espalhou para todo o continente e do continente se espalhou para todos os outros continentes do mundo. Aquela criança não poderia estar mais feliz. Um mundo sem necessidade de guerras, a fome não existia mais, religiões respeitavam umas as outras compartilhando seus ideais, culturas e tradições educavam diferentes povos pelo mundo, a natureza era respeitada pois todos dependiam dela para viver, todos os seres, vivos ou não, agora existiam de forma harmoniosa e respeitosa. Tudo a partir de uma mente justa, pura e criativa de uma criança.
      Infelizmente, esse mundo perfeito não durou muito. Pessoas sempre queriam mais. A sede de justiça perde para a sede de ter mais. Injustiças começaram a aparecer novamente, pessoas mais favorecidas que as outras começaram a aparecer, culturas e religiões começaram a discriminar umas as outras, a fome a e miséria voltaram. Aquela criança viu seu mundo desmoronar novamente. Ao abrir os olhos, viu seu mundo ser destruído pela realidade.


Clique:


2 comentários:

Eduarda Ribeiro disse...

Amei essa estória Tiemii!!

Eii vc nunca mais passou no meu cantinho né?

Beejo!

Felipe Andrade disse...

olha... alem de desenhista vc eh escritora rsrs

muito bom mesmo ^^